Twitter

CUT MS > LISTAR NOTÍCIAS > TRABALHADORAS DENUNCIAM IMPACTOS DA REFORMA TRABALHISTA

Trabalhadoras denunciam impactos da Reforma Trabalhista

06/12/2017

Mulheres das centrais participam de ação dos 16 dias de ativismo de combate à violência

Escrito por: Érica Aragão com informações do portal da CTB

Para denunciar as consequências da Reforma Trabalhista na vida das trabalhadoras, militantes e dirigentes sindicais do Fórum Nacional das Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais (FNMT) estiveram na manhã desta na quarta-feira (6) na estação Brás do Metrô/CPTM, na capital paulista, distribuindo panfleto e conversando com a população que passava no local.

A ação faz parte dos ‘16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres’, que termina no próximo dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos.

A secretária Nacional da Mulher Trabalhadora da CUT, Junéia Martins Batista, explica a relação entre ataque aos direitos da classe trabalhadora e violação dos direitos humanos.Segundo Juneia, “a Reforma Trabalhista acaba com os direitos da classe trabalhadora, precarizando as condições de trabalho e regulamentando o bico no país, portanto, também viola os direitos humanos”.

“As mulheres e as jovens”, destaca Juneia, “serão as mais impactadas pela nova Lei Trabalhista e precisamos denunciar esta violência aos quatro cantos deste país”.

A atividade realizada na Estação Brás na manhã desta quarta foi marcada justamente no Dia do Laço Branco – Homens pelo Fim da Violência Contra as Mulheres, comemorado em 6 de dezembro.

Essa data, diz Juneia, é muito importante porque une “homens e mulheres na luta contra todo tipo de violência praticada contra as mulheres”.

“Esse não é o mundo que a gente quer”, completou Junéia.

 

Saiba mais sobre o Dia do Laço Branco

O dia 6 de dezembro foi escolhido porque nessa data em 1989, um rapaz de 25 anos entrou numa escola em Montreal no Canadá e, em uma sala de aula, dispensou os homens e matou as 14 mulheres presentes, aos gritos de “eu odeio feministas”. Depois da chacina, o homem suicidou-se. O episódio ficou conhecido como o “Massacre de Montreal”.

O Dia do Laço Branco é também denominado Homens pelo Fim da Violência Contra as Mulheres. A comemoração da data chegou ao Brasil em 1999, mas avançou e 2002 com parceria firmada com a Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, mas a partir de 2003 ganhou status oficial e relevância na luta contra a violência à mulher.

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
INSTITUCIONAL
SECRETARIAS
ESTRUTURA

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DO MATO GROSSO DO SUL
Travessa Coronel Edgarde Gomes, 49 | São Tomé | CEP 79002-339 | Campo Grande | MS
Fone: (55 67) 3325.9406 / 3325.8378 | www.cut-ms.org.br | e-mail: cutms.ms@hotmail.com