Twitter

CUT MS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > EM DECISÃO HISTÓRICA, OMS RETIRA A TRANSEXUALIDADE DA LISTA DE DOENÇAS MENTAIS

Em decisão histórica, OMS retira a transexualidade da lista de doenças mentais

19/06/2018

A decisão da OMS esvazia o discurso de grupos de psicólogos que falam em cura ou tratamento, num desrespeito à diversidade sexual dos seres humanos

Escrito por: Walber Pinto - CUT

A Organização Mundial de Saúde (OMS) retirou a transexualidade da lista de transtornos mentais. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (18) durante a 11ª  revisão da Classificação Internacional de Doenças (CID). A última revisão desta norma havia sido feita 28 anos e, nela, até então, a transexualidade era entendida como “transtorno de identidade de gênero”.

Segundo a OMS, há claras evidências de que a transexualidade não é um transtorno mental. “De fato pode causar enorme estigma para as pessoas que são transexuais e, por isso, ainda existem necessidades significativas de cuidados de saúde”, justifica a organização em nota divulgada no site.

A decisão da OMS esvazia o discurso de grupos de psicólogos que falam em cura ou tratamento, num desrespeito à diversidade sexual dos seres humanos.

A decisão histórica foi comemorada por defensores dos direitos humanos e ativistas do movimento LGBTI+ em todo o mundo. 

Para a secretária nacional de Políticas Sociais e Direitos Humanos da CUT, Jandyra Uhera, a decisão é uma vitória importante, mas a luta contra a transfobia no país que ocupa triste posição de ataques violentos a este segmento tem que avançar.

“É preciso aproveitar o momento para que esta mudança se expresse na realidade, seja para proteger pessoas trans de intervenções médicas indevidas em seus corpos e mentes, seja para avançar no combate à violência contra a população LGBTI+ no Brasil”, destaca a dirigente.

Apesar da decisão da OMS, as pessoas transexuais continuam na CID como incongruência de gênero, dentro da categoria de condições relativas à saúde sexual.

Segundo avanço

Em maio de 1990, a OMS havia seguido a mesma orientação ao deixar claro que a homossexualidade não é doença. Na época, a organização retirou esta a orientação sexual da lista de doenças mentais do CID.

Durante muito tempo, as entidades do movimento LGBT, principalmente aquelas com foco nas pessoas trans, reivindicaram que a transexualidade saísse da lista de doenças mentais e entrasse no de comportamento sexuais.

“Ainda assim, como diz o ditado, antes tarde do que nunca”, comemora Jandyra.

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
INSTITUCIONAL
SECRETARIAS
ESTRUTURA

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DO MATO GROSSO DO SUL
Travessa Coronel Edgarde Gomes, 49 | São Tomé | CEP 79002-339 | Campo Grande | MS
Fone: (55 67) 3325.9406 / 3325.8378 | www.cut-ms.org.br | e-mail: cutms.ms@hotmail.com